Uma Planta, Muitos Chás

Sempre gostei muito de chá. Mesmo morando em Niterói tomava chá quente (e doce). No Brasil existe uma variedade de chás populares, cada um feito de uma planta diferente: camomila, erva-doce, hortelã, mate, cidreira, boldo… Mas no extremo oriente a grande maioria dos chás são produzidos de uma única planta.

É da planta Camellia sinensis que são feitos os chás verde, oolong, preto e o branco. Grosso modo a diferença entre o verde, oolong e o preto é o grau de fermentação. O chá verde tem o mínimo de fermentação, ao passo que o chá preto é bastante fermentado e apresenta uma quantidade bastante alta de cafeína. A produção do chá oolong é feita de modo que as folhas não oxidem demais. Na minha opinião o oolong guarda as melhores qualidades do chá verde e do preto. Do ponto de vista técnico é aquele que tem mais polifenóis, um tipo de substância que seria muito saudável, apesar de não existir uma comprovação científica séria que confirme isso. Enfim, temos o chá branco que é feito com folhas jovens: apesar da pouca oxidação ele tem um pouco mais de cafeína que o chá verde.

Adoçar ou não? Na minha opinião vale a pena adoçar minimamente o chá gelado. Adoçar o chá quente faz que ele fique com um gosto realmente ruim além de mascarar todo o seu aroma. Na verdade eu demorei muito tempo para começar a tomar esse tipo de chá pois eu sempre queria adoçar e ficava ruim. Vale a pena tomar algumas xícaras calmamente até emitir o seu veredito final. Lembre-se que essa é a maneira que se aprecia chá em toda a China, Vietnam, Coréia, Japão… Se um quinto da humanidade aprecia tomar esse tipo de chá ele deve ser bom, né? 😉

Plantação de Camellia sinensis

Felipe com caixa de chá oolongEssa não é uma lista extensiva sobre chás (ainda bem!). Basta clicar no link do chá branco para ver como é extensa a lista de variedades deste chá. Ainda que não seja uma lista extensiva eu acredito que ela cubra uma boa parte daquilo que você vai encontrar a venda no mercado. Existe um chá aromático chamado Earl Grey que é o chá preto com óleo de bergamota. Eu acredito que o earl grey seja muito consumido na Inglaterra. Outro chá ainda menos conhecido por aqui que é feito com uma variação da Camellia sinensis se chama Pu Er (普洱茶). Segundo as impressões que tivemos aqui em casa, este chá tem um aroma mais floral que o verde ou oolong. Mas essa é uma generalização perigosa, pois existe uma gama muito grande de chá pu er, classificados por idade e região, da mesma forma que vinhos. Uma porção de chá seco pode durar muitas décadas sem perder suas características. Em algum momento da história os tijolos de chá (especialmente o preto) foram utilizados como moeda de fato em regiões da China como a Mongólia.

1 Response

  1. Felipe, parabéns pelo seu blog, a poesia ” O Beijo” é algo muito especial! O meu interesse foi pelo artigo sobre chás. Pouco conhecedor, há 2,5 anos ganhei do meu filho que mora na Europa duas caixas de chás, Lyons Tea e Barry’s Tea. Gostei bastante e criei o hábito de apreciá-los diariamente logo cedinho (sou madrugador) enquanto faço alguma leitura. Após acabarem, tive dificuldades em substituí-los por marcas nacionais que fossem do meu agrado, possivelmente por desconhecimento da minha parte. Por enquanto meu filho ainda mora fora e tem feito remessas para mim, o que não será para sempre. Pelo seu conhecimento no assunto, acredito que você possa me dar sugestões em relação a marcas e locais onde eu possa encontrá-los. Numa oportunidade, faça uma navegação nos sites destes chás que são produzidos em regiões montanhoas da África e processados na Irlanda, muito interessante! (http://www.lyonstea.ie/rainforest_alliance/rainforest_alliance.html) e (http://barrystea.ie/).
    Abraço.

Deixe uma resposta