Entretenimento

Qualquer coisa que entretenha, entende? Poderia se chamar humor…

The Flowers of War (金陵十三钗)

Ontem assisti a este filme chinês de 2011. Eu não sou fã de filmes de guerra, mas eu recebi a dica deste filme por uma chinesa, e como estou lendo livros sobre o tema resolvi assisti e gostei.

A história se passa durante a ocupação de Nanjing em 1937. Na época a cidade era a capital da China governada pelos nacionalistas que se viram obrigados a mudar a capital para a cidade de Chongqing, no interior do país. Segundo relatos do livro “This is China: the first 5000 years“, a invasão japonesa foi bastante cruel. O livro mostra uma foto de chineses sendo enterrados vivos, o que me chocou bastante. Ainda segundo o livro os chineses denunciam um número realmente massivo de mulheres estupradas durante a ocupação, tema presente no enredo deste filme, onde uma igreja funciona como bunker para um grupo de meninas e prostitutas protegidas por um falso padre.

O filme é chinês: mostra os soldados chineses como heróis e os soldados japoneses como malvados sem motivo. Ou seja, não é nada imparcial. Ainda assim vale a pena.

http://youtu.be/gac7-t7151M

Baixar o filme com legendas em inglês e mandarim.

AKB48 no Google+

O Google+ fez uma parceria com o AKB48 que deve impulsionar o uso da ferramenta no Japão.

Composto com a ideia de celebridades que você pode conhecer pessoalmente, o ABK48 é um grupo de meninas que se apresentam regularmente no bairro de Akihabara, em Tokyo. Após as apresentações os fans podem cumprimentar, tirar fotos e pegar autógrafos. Para manter o ritmo acelerado de show o AKB48 é composto de três times de 16 meninas.

Não é muito raro que os vídeos do ABK48 apareçam no Youtube Trends japonês. Foi por aí que eu conheci esse grupo, uns meses atrás.

Com a parceria com o Gloogle+ cada componente do grupo ganhou um perfil pessoal para interagir ainda mais com os fans.

Pode ser que esta estratégia seja especialmente útil no Japão, país em que as redes sociais tem uma adesão menor que o normal, já que culturalmente as pessoas são mais reservadas. Nesse sentido colocar um grupo feito com a filosofia de celebridades que você pode conhecer pessoalmente tem tudo para dar certo.

O que Resta do Tempo

Assisti a este filme palestino agora: muito non sense. A impressão que tive é que falta uma história, falta roteiro. O filme é uma coleção de esquetes que sempre contam a mesma história: “veja como nós, palestinos, somos humilhados pelo Estado de Israel”.

Gastei duas horas do meu tempo e eu não ouvi, francamente, qual é o lado palestino 🙁

É um filme que deve fazer sucesso com o pessoal de extrema esquerda. Você sabe como é: o “povo palestino” é mais fraco que o Estado de Israel, logo eles não precisam de um bom argumento para serem defendidos.

O filme tem uma boa plástica, um cenário bonito, mas nada que justifique uma simples indicação ao Festival de Cannes. O filme é lamentável, e sua indicação ao Cannes é mais lamentável ainda.

Gaiola das Cabeçudas

Recebi a indicação desse video pelo Raphael no meu aniversário e resolvi compartilhar.

A maioria das pessoas que criticam o funk o fazem alegando que o ritmo musical simboliza a “falta de cultura”. Pode ser que simbolize. Mas na minha opinião o funk é só um ritmo, como qualquer outro. Você não precisa discriminar e esculhambar as pessoas que gostam. Quando eu morava em Niterói (mas isso faz um tempão) eu achava que as pessoas marginalizavam o funk porque o pessoal do funk era do morro. Quanto mais o pessoal do asfalto marginalizava o funk, mais o funk se marginalizava. Mais agressivo ficava… Não é essa a dinâmica da própria sociedade?

Provavelmente o Marcelo Adnet fez a letra dessa música pensando nesse tipo de crítica.

As Crianças de Huang Shi

image

Assisti hoje o filme As Crianças de Huang Shi (em inglês The Children of Huang Shi), uma produção chinesa ambientada na guerra dos anos 30. Na época a China sofria a invasão japonesa e os nacionalistas e comunistas chineses lutavam contra essa ocupação.

Mas essa não é a trama deste filme, que na verdade relata a passagem de um jornalista ocidental que vai à frente de guerra em Nanquing em busca de um furo jornalístico. Ferido, acaba se envolvendo com os problemas de um orfanato repleto de meninos que perderam seus pais durante os conflitos.

Baseado em fato real. Conta inlusive com depoimento dos meninos já “crescidos” 🙂

Produção boa. O ponto fraco esta no roteiro que não soube trabalhar as várias oportunidades de relação humana entre o protagonista e os meninos ou com a enfermeira Lee.

Visite o site oficial do filme em inglês.

F.I.R.

Grupo musical F.I.R.Conheci a música de um grupo de Taiwan e achei bem legal. O nome do trio é 飞儿乐团, mas para os ocidentais eles adotam o nome F.I.R., que significa “Fairyland InReality” (Conto de fadas de verdade).

As musiquinhas são bem pop, mas na minha opinião elas tem uma certa personalidade.

我們的愛 O Nosso Amor (Wǒ Men De Ài)

música: 我們的愛 (nosso amor). O início do clipe é meio piegas porque vem de uma novelinha. A música original não tem os sons do pessoal falando na novela 🙂

你的微笑 Seu Sorriso (Ni De Wei Xiao)

Esse outro clipe é de uma música que eu acho bonitinha chamada 你的微笑 (seu sorriso).

Links: fan club do F.I.R. e F.I.R. na wikipedia.