Ubuntu

Backup Esperto com o Dropbox

Logo do Drop BoxFazer backup é importante, mas é uma tarefa enfadonha. Nas últimas semanas conheci um serviço muito bom de backup que torna a tarefa de backup super fácil. O serviço se chama dropbox.

Como funciona: na instalação é criada uma pasta especial chamada DropBox. Todo arquivo que você salva ali dentro é mandado para a nuvem. O backup é diferencial: se você estiver editando um texto de várias páginas e só alterar um parágrafo, somente este parágrafo é enviado, tornando o processo rápido e economizando banda de internet.

Espaço: o serviço oferece 2Gb gratuitos, e se você precisar de mais espaço o serviço pode ser contratado. Dependendo da sua necessidade pode ser interessante.

Compatibilidade:  tenho utilizado o serviço em um computador com Windows e outro com linux ubuntu, e programa funciona bem nas duas plataformas, inclusive os acentos (qualquer unicode, na verdade).

Confiabilidade: eu não faço ideia de quem detém o capital do dropbox, então por enquanto eu não tenho colocado informações sensiveis na minha pasta do dropbox.

Jabá: para assinar o Dropbox clique aqui e crie a sua conta gratuita com 2,25Gb!

Ubuntu 8.04 LTS

Ontem de noite comecei a atualização do meu Ubuntu 7.10 para a versão nova que saiu ontemd e manhã, a versão 8.04 LTS. Precisei baixar cerca de 1.3 Gb de dados para realizar a atualização que ocorreu muito bem. Até o momento não percebi nenhum perda de dados ou configurações. As impressoras que eu tinha instalado continuam lá e meu ambiente gnome continua com a mesma aparência de antes. Meu teclado brasileiro não teve problemas de configuração, como li em outro blog que relatou a instalação do 8.04 RC por boot de CD…

Não gostei quando soube que viria a versão beta do firefox 3, mas a versão parece estável, e ainda busca as informações de proxy direto do sistema, o que é um ganho para mim que configuro proxy duas vezes por dia.

Uma coisa que não gostei foi ele ter retirado o VMWare que eu tinha instalado. Ele me perguntou se eu queria tirar algumas bibliotecas perdidas onde constava o vmware, e achei melhor tirar e instalar novamente depois da instalação. Foi uma precaução minha, portanto.

No asf@web já saiu um post sobre a atualização do sistema. O Antonio Fonseca também não encontrou problemas na atualização. Aguardo o relato de outros colegas usuáriod e ubuntu, como o Elcio que também estava se arriscando ontem 😉

Ubuntu Novo

Eu uso Ubuntu linux e neste sábado fiz a migração para a nova versão, a 7.10. Estava com medo de atualizar, pois a última atualização que fiz não deu muito certo, e alguns programas pararam de funcionar, mas eu confesso que fiz a atualização no processo “next man”, clicando nas opções sem ler quase nada.

Para atualizar meu ubuntu da versão 7.04 para a 7.10 foi necessário baixar uns 900Mb de pacotes e a instalação foi interrompida com diversas perguntas sobre manter ou não arquivos de configuração do apache, e outros módulos (o que achei chato, mas necessário).

Aparentemente tudo está correndo bem: minha experiência foi positiva. Só notei que o tema da janela de início de sessão do gnome ficou bagunçado (é um tema personalizado).

skypecast

Hoje tive de fazer uma reinstalação de meu ubuntu, o que inclui backuop dos arquivos em outro micro e toda a chatice. Enquanto esperava os arquivos serem copiados, dei uma olhadinha nos skypecasts, que são salas de bate papo do skype. Muito interessante.

Entrei numa sala de gente cantando música e dei a minha contribuição cantando Djavan a capela. Djavan é um dos poetas contemporêneos que eu mais respeito. Pena que ninguém entendeu a poesia. Só ficou a minha voz tosca cantando pra gringo. Mas bem que no finalzinho ouvi alguém falar obrigado, em português do Brasil 🙂

Se

Você disse que não sabe que não
Mas também não tem certeza que sim
Quer saber?
Quando é assim
Deixa vir do coração
Você sabe que eu só penso em você
Você diz que vive pensando em mim
Pode ser
Se é assim
Você tem que largar a mão do não
Soltar essa louca, arder de paixão
Não há como doer pra decidir
só dizer sim ou não
Mas você adora um se…
Eu levo a sério mas você disfarça
Você me diz a beça e eu nessa de horror
E me remete ao frio que vem lá do sul
Insiste em zero a zero e eu quero um a um
Sei lá o que te dá, não quer meu calor
São Jorge por favor me empresta o dragão
Mais fácil aprender japonês em Braille
Do que você decidir se dá ou não

Quando a distribuição sugere pacotes incompatíveis

Distribuições linux trazem um conjunto de coeso de componentes de sistema operacional e assessórios que juntos funcionam sem que haja conflitos. Ou pelo menos na teoria é assim.

Por acaso passei pelo mesmo problema duas vezes em menos de 24h. Primeiro ao instalar o tomcat no ubuntu 6.10 que opero na Assembléia, e hoje ao instalar o mesmo tomcat em um servidor Suse.

Ambas distribuições sugerem o uso do tomcat 5.0.30, mas quando se instala as ferramentas de administração do tomcat, o admin simplesmente não roda devido a uma incompatibilidade entre o struts da distribuição e os arquivos de configuração do admin. Em outras palavras: o sistema recomenda um struts incompatível com a recomendação do admin do tomcat.

Solução? Fazer como qualquer mortal faria, baixando o tomcat estável (5.0.28) do site da apache, que vem com o strutus adequado, processo relativamente tranquilo e rápido, apesar de não manter o santo padrão das distribuições (diretórios, autorizações…).

Agora, quando me argumentarem que tomcat só se instala em servidor com os YaSTs e apt-gets, posso dizer por experiência própria que nem sempre é o melhor.

Por último, para quem ainda não se convenceu: quando vou instalar o tomcat no SUSE o YaST sugere que se instale o java open source. Resultado: incompatibilidade com vários códigos java. Solução: instalar outro pacote do SUSE com o java da sun…

E se você só usa a tal distribuição só porque lhe garantiram que era a distribuição mais estável e que usar outra distribuição vai contra a política da empresa? Bem, daí só resta ficar resmungando nos blogs afora :-/

Kubuntu Linux

Kubuntu é uma variação da distribuição Ubuntu do sistema operacional Linux. Assim como o Kurumin, o Kubuntu se baseia na distribuição Debin, que apesar de ter um esquema de atualização de programas excelentes pelo apt-get, é muito difícil de ser utilizado por um leigo – a instalação é impossível de ser executada por um usuário normal.

O Kubuntu surge como uma proposta de Debian para todos, independentemente do skill. A diferença entre o Ubuntu e o seu irmão, o Kubuntu, é a interface. O Ubuntu utiliza o Gnome, enquanto o Kubuntu o Kde.

Ambos vêm em versão live CD, que prescinde instalação, e a versão para instalar no disco rígido.

Há ventagens e desvantagens em relação ao brasileiro Kurumin. A desvantagem é que no Kubuntu – e também no Ubuntu – a instalação deve ser feita em modo texto – no Kurumin a instalação é gráfica, a partir do Live CD. E como o Kubuntu é internacional, é necessário informar seu idioma, país e layout de teclado, opções que o Kurumin já vem “de fábrica”. A vantagem, que ao meu ver foi decisiva em favor do Kubuntu, é que o Kubuntu é feito sobre a versão em teste do Debian, e não sobre a versão instável, como o Kurumin faz. Isso significa que o Kurumin a longo prazo tende a ser mais instável que o Kubuntu. Além do mais o Kubuntu também faz uma distinção entre os programas testados pelo Kubunutu, e supostamente mais estáveis que os demais, e os demais programas que não passaram por uma bateria de testes.

Para quem usa linux enquanto SO de estação de trabalho e para servidor de homologação de sistemas, eu recomendo o Kubuntu, por aliar a versatilidade do Debian e a facilidade de uso.