Xian

2012.03.23 Viagem de Xian para Luoyang

Hoje pegamos um trem para Luoyang. Compramos o ticket na hora e por isso não conseguimos lugar no trem mais rápido, e também tivemos de sentar nos lugares chamados “hard seat”. Na verdade a diferença entre o hard seat e o soft seat não me pareceu ser a moleza ou dureza do banco, mas sim o espaço que se tem na poltrona. Como o hard seat é um pouco mais barato o vagão também fica bem cheio. Talvez seja um eufemismo para primeira e segunda classes. Não sei. É um chute meu, talvez movido pelo preconceito de se estar em um país comunista.

Continuar a ler

2012.03.22 Pagode do Ganso Grande e Museu de Xian

Ao sul do cidade tem um pagode do ganso grande dentro de um parque bom de se passear. Fizemos a volta pelo pagode, mas não nos interessamos de entrar para ver as exposições. Depois de muitos dias vendo exposições é natural você ficar insensível. É impossível absorver muita informação histórica, então passeamos olhando o pagode meio de longe, as fontes de água e as barraquinhas turísticas. De noite tem um show das águas, mas faltou pique para voltar de noite aqui…

Continuar a ler

2012.03.21 Guerreiros de Terracota

O primeiro imperador da China construiu um exército enorme de guerreiros de terracota para que fossem enterrados junto dele. Cada guerreiro tem uma feição diferente, uma posição única. O mausoléu do imperador, naquela época, costumava ter uma montanha erguida sobre a tumba, o que formava um pequeno monte. É engraçado notar uma leve semelhança entre os ritos funerais do faraó egípcio e do imperador da China, mesmo sendo civilizações que não deviam manter contato algum: enterrar jóias, o que me parece bem normal para qualquer cultura, levar um exército para a outra vida e erguer um monte ou uma pirâmide em cima.

Continuar a ler

2012.03.20 Floresta de Estelas e o Muro de Xian

Junto ao muro sul de Xian fica o Museu da Floresta de Estelas, que é um lugar que guarda placas de pedra antigas com livros antigos, poemas e registros históricos. É um tanto monótono andar no meio de tanta pedra quando não se consegue ler uma única frase do que se está escrito, é verdade, mas eu fiz uma forcinha para tentar observar a mudança de tipo de escrita e tentar descobrir onde terminava o I Ching, o livro das mutações, e onde começava o livro da piedade familiar. Dois clássicos confucionistas. Não, não consegui achar nada, eheh. Mas imagine o tamanho do livro, já que estão escritos em pedaços altos de pedra. A profunda estima dos confucionistas pelos escritos permitiu que se guardassem algumas pérolas aqui.

No final das estelas tinha uma sala onde alguns funcionários faziam copias xilográficas de algumas delas, algumas com poemas e desenhos.

O museu da floresta de estelas tem ainda uma mostra de estatuas gigantes de animais em pedra, como um rinoceronte em tamanho real. Uma outra exposição mostrava várias estatuas budistas.

O museu tem um valor histórico grande, mas é um pouco caro para quem não curte olhar estelas. A entrada foi 75,00 RMB.

Em 1983 o governo resolveu reformar o muro da cidade de Xian por completo. O resultado é que hoje é possível dar a volta na cidade antiga pelo alto, a pé ou de bicicleta. O percurso todo tem 14km e o trecho de muro atual corresponde àquele construído na dinastia Ming, em 1370, quando a cidade não tinha uma importância política e econômica tão grande quanto teve antigamente. O muro já foi muito maior e chegou a ter um perímetro sete vezes maior, durante a dinastia Tang.

Andamos 1km de muro a pé, olhando um pouco da cidade em volta. Passamos por um museu na saída com trechos antigos do muro. Não sabíamos do museu. Simplesmente esbarramos nele 🙂

Tentamos ver o pagode do ganso pequeno, mas já estava fechado. As coisas fecham cedo em março, e como os guias turísticos dão informações imprecisas, a gente acaba se atrapalhando um pouco.

Hoje comemos um baozi de verduras e ovo e iogurte na rua. Estava bom. De noite fomos ao Pizza Hut. Ana Paula pediu um macarrão ligeiramente apimentado, forte para os nossos padrões, mas tudo bem. E eu pedi uma sopinha de cogumelos e uma mini pizza de salmão sinistra: tinha pimentão, polvo, camarão, cogumelo e um molho wassabi. Pesadíssima. Comi metade. Daqui pra frente só peço a vegetariana que é mais leve…

 

 

2012.03.19 Xian: mesquita, casa antiga e templo taoísta

Xian foi a maior cidade da China durante muitos séculos. Quando a China foi unificada pela primeira vez e a dinastia Qin instalada, Xian era a capital. Na época a cidade se chamava Changan. Localizada perto de um férteis leito de um rio afluente do rio amarelo, e protegido por cadeias de montanhas, Xian ainda contava com o positivo fato de estar no meio da rota da seda.

A rota da seda era um, ou alguns, caminhos de troca comercial de produtos chineses com a Pérsia e o restante do mundo. A China tinha excelente seda e materiais feitos de bronze para exportar. As importações incluiam jóias e temperos. Por muito tempo Xian foi a maior cidade murada do mundo, e uma das mais cosmopolitas, recebendo influência direta de diferentes povos. A chegada das religiões muçulmana e budista à China tem passagem importante nesta cidade.

Hoje visitamos o bairro muçulmano com um mercado cheio de lojinhas de coisinhas e de comidinhas. Bem no centro visitamos uma mesquita justo no horário de uma reza. A arquitetura é chinesa, com as características muçulmanas, semelhante a mesquita da rua da vaca, em Beijing.

Visitamos por ali uma casa que pertenceu a um alto oficial da dinastia Qing. O oficial passou em segundo lugar no exame nacional e ganhou a casa de presente. A casa é mantida até hoje pela família que transformou o lugar em um museu e em uma escola de pintura.

No final da tarde fomos conhecer um templo taoísta chamado Templo dos Oito Imortais. Eu não consegui pesquisar o suficiente para saber o que é taoísmo, mas sei que é uma das grandes religiões da China, e que o conceito de Tao está ligado às tríades que podemos ver na bandeira sul coreana, e que está presente em algumas fotos que a Ana Paula tirou.

Ficamos observando as roupas dos praticantes, que é diferente das roupas usadas em outros templos. A veneração é parecida com a veneração nos templos budistas e confucionistas: oferecer incenso ou dinheiro e fazer reverencia com as mãos postadas ou em frente a testa em frente a estátua que representa a divindade.

Xian é bem grande, mas ainda assim é bem mais rápido aravessar a cidade aqu do que em Beijing 🙂

Tentamos comer em um shopping. A Ana Paula queria macarrão sem picante, eheh. Eu me esqueci de pedir sem picante. Vi a foto do que seria um frango agridoce e pedi o barato. É claro, era bem picante, e lá no fundo com um pouco de agridoce. Achei que tinha pouca carne, e muita gordura. Parece que o pessoal gosta da gordura porque deixa mais macia a carne. Como eu consegui comer tudo, menos a sopinha e a salada de nabo, dou nota quatro pro prato 🙂

20120322-182204.jpg

20120322-182328.jpg

20120322-182407.jpg

20120322-182435.jpg

20120322-182719.jpg

20120322-182619.jpg

20120322-182906.jpg

20120322-182922.jpg

20120322-182842.jpg

20120322-182948.jpg

20120322-183010.jpg

20120322-183026.jpg

20120322-183103.jpg

20120322-183041.jpg

20120322-183128.jpg

20120322-183203.jpg

20120322-183220.jpg

20120322-183250.jpg

20120322-183305.jpg

20120322-183325.jpg

20120322-183335.jpg

20120322-183416.jpg

20120322-183427.jpg

20120322-183443.jpg

20120322-183455.jpg

20120322-183510.jpg

20120322-183557.jpg