2012.03.25 Hanami em Nanjing e a tumba do 1o. imperador Ming

Chegamos a Nanjing cansados de tanto andar nas cavernas de Longmen e cansados de viajar em um trem que não era muito bom. Fomos de metrô até o hostel que escolhemos pela internet. Encontrar hostel usando as indicações que os próprios hostels colocam no hostelworld é uma aventura. Por algum motivo nenhum, NENHUM, hostel coloca o nome do hostel ou da rua em chinês. Ao invés disso é colocado o nome e o endereço com letras latinas. O resultado é que fica difícil encontrar o endereço tanto para quem sabe quanto para quem não sabe chinês. Todos os hostels eu encontrei essa dificuldade.

Com alguma dificuldade encontramos o hostel, mas não tinha vagas. Fomos atrás do único que constava vaga no site. Fica dentro de um campus universitário, eu acho. A rua não existia nos mapas, nem no Google e nem no chinês Baidu. Saímos do metrô e depois de quase dois kilometros andando com as malas eu saí perguntando do hostel para dois porteiros e para dois garotos jogando bola. Ninguém falava nada de inglês. No máximo apontavam para uma direção e falavam um monte de coisa. Felizmente todos os quatro apontaram para a mesma direção, de forma que conseguimos chegar lá 🙂

Com um único dia para conhecer uma cidade tão grande como Nanjing tivemos de escolher uma atracão turística meio que na sorte. Escolhemos ver o túmulo do primeiro imperador da dinastia Ming. A dinastia Ming começou em Nanjing, que significa capital do sul, e logo se mudou para Beijing, que significa capital do norte. Fomos de metrô e quando chegamos na entrada do parque vimos que tinha uma galera indo pro parque também. Pensamos que era movimento normal de domingo, mas provavelmente estava com um movimento muito maior ainda pois estava tendo festival da florada das cerejeiras.

Nós sabíamos que a florada das cerejeiras é um acontecimento e tanto no Japão. Lá eles chamam de hanami. Lá no Japão é costume fazer piquenique nos parques. Descobrimos que aqui também é costume. Muita gente traz lanche e baralho. Alguns estendem uma toalha no chão, muitos outros armam uma barraca iglu para passar o dia em baixo das cerejeiras. As flores da cerejeira são uma das primeiras a se abrir depois do inverno, e depois de poucos dias caem. Depois de passar semanas vendo Beijing, Chengde e Xian tomados das cores cinzas e marrom opaco, é bem legal ver as cerejeiras em flor.

Ainda comemorando a florada estava tendo um festival no parque, além de barraquinhas de comida e brinquedos para as crianças. Parecia um mega matsuri que costuma ter no bairro da Liberdade. Só que chinês.

Hoje me ofereci para tirar fotos de um casal. Ele estava tentando equilibrar a câmera em uma árvore para tirar foto dele com a namorada. Ele me agradeceu muito e eu continuei andando. Depois de uns quinze minutos a namorada dele me chamou pedindo para eu tirar uma foto com ele! Tirei a foto, e a Ana Paula aproveitou para tirar a foto também. Perguntei o que ele fazia: os dois são universitários. Ele faz economia e ela medicina. Tiveram contato com um laowai (estrangeiro) e quiseram uma foto para lembrar, ahah.

A tumba do primeiro imperador Ming ficou ficou meio perdido no meio de tanta gente. Inclusive perdemos o caminho, no meio de tudo, mas depois eu encontrei de novo, usando o mapa de satélite. Muito antiga, a tumba e todos os prédios que compõem o memorial do primeiro imperador Ming, tiveram de ser reconstruídos durante a dinastia Qing. É praticamente impossível encontrar algo com mais de duzentos anos que não tenha sido refeito. Especialmente em Nanjing, uma cidade tão castigada por guerras. Ah sim, nós fizemos o caminho meio que pelo inverso…

Na saída encontramos algumas noivas e noivos fazendo fotos no parque. É bastante comum encontrar casais com vestido de festa fazendo book. Eventualmente encontramos pessoas fazendo book mas sem roupa de casamento. O mais atípico para nós, ocidentais, é o vestido de casamento vermelho, já que esta cor é praticamente impensável no Brasil. Mas vimos vestidos de noivas creme e dourado também. O branco eu não me lembro de ter visto…

Óculos é fashion! Hoje a Ana Paula tirou foto de uma menina do metrô usando óculos sem lentes. Como se fosse um acessório. Tipo: algumas garotas usando arquinhos na cabeça, outras laço e tem quem use óculos. Sem lentes mesmo. Já tínhamos reparados em muitas meninas que usam óculos assim, sem lente. Mas só hoje conseguimos uma foto para ilustrar. Muito curioso 🙂

Comidas de hoje: sorvete de feijão azuki de manhã, baozi com recheio de carne bovina na feirinha e Pizza Hut de noite. Detalhe: no Pizza Hut pedimos risoto chinês e macarrão. Não pedimos pizza…

20120329-011924.jpg

20120329-011948.jpg

20120329-012009.jpg

20120329-012027.jpg

20120329-012039.jpg

20120329-012052.jpg

20120329-012109.jpg

20120329-012131.jpg

20120329-012231.jpg

20120329-012245.jpg

20120329-012327.jpg

20120329-012346.jpg

20120329-012358.jpg

20120329-012421.jpg

20120329-012440.jpg

20120329-012544.jpg

20120329-012644.jpg

20120329-012601.jpg

20120329-012623.jpg

20120329-012737.jpg

20120329-012724.jpg

20120329-012703.jpg

20120329-012756.jpg

3 Responses

  1. Depois dessa viagem acho que vou ficar longe do Mc, Pizza Hut e de frango (exceto se for filé de peito bem branquinho e sem gordura) por pelo menos um ano! Já devo ter ganhado uns 5kg a mais.

  2. Linda as fotos das pessoas fazendo pic-nic no meio das cerejeiras.
    Agora, quanto aos óculos, aposto que é coisa super moderna. Deve haver uma película holográfica, acionada conforme a vontade do usuário do óculos que permite a visão das pessoas com apenas a roupa de baixo.( ou visão de RX)
    É isso que eu penso.

Deixe uma resposta